ACNE

Dra. Andréia Coutinho de Faria - CRM 43222

Dermatologista - RQE 20494

Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

    

Acne (Espinha)        

acne é uma doença extremamente comum, que afeta principalmente indivíduos a partir da adolescência, tendendo a melhorar na idade adulta. Entretanto, algumas pessoas continuam a apresentar acne até mesmo na terceira idade.

   

acne é causada por alterações nos folículos pilossebáceos, que são estruturas da pele formadas pela união de um pêlo e uma glândula sebácea, acometendo principalmente a face, o tórax anterior e o dorso, áreas com grande concentração desses folículos

A partir dos sete anos de idade, tanto as glândulas sebáceas quanto as células da pele que compõem o folículo pilossebáceo são estimuladas por hormônios sexuais, implicando em maior produção de sebo e obstrução progressiva do poro folicular, formando lesões microscópicas chamadas de microcomedos.

   

Esse processo intensifica-se na adolescência, acumulando gorduras, bactérias e restos de células mortas no folículo, aumentando seu tamanho e resultando nas primeiras lesões visíveis de acne, os comedos ou cravos (abertos ou fechados, abertos são os cravos pretos e fechados são os cravos brancos).   

 

Glandula sebacea

Imagem extraída de: http://ventanademony.blogspot.com.br/

       

Quando ocorre aumento da proliferação de bactérias e inflamação desses comedos, surgem as pápulas ou pústulas chamadas de espinhas. Em alguns casos, surgem cistos e nódulos, conhecidos como “espinhas internas”, que são lesões maiores, por vezes dolorosas e difíceis de resolverem espontaneamente. Existem formas mais raras de acne, e também mais graves, em que surgem abscessos cutâneos e, outra ainda menos freqüente e ainda mais grave, chamada de acne fulminans em que além de extensas lesões de pele, ocorrem sintomas como febre e calafrios.   

   

Assim é classificada a acne em graus:

  1. Comedônica: cravos (comedos);

  2. Pápulo-inflamatória: espinhas inflamadas (pápulas e pústulas);

  3. Nódulo-cística: espinhas internas (nódulos inflamatórios e cistos);

  4. Abscedada: abscessos cutâneos;

  5. Acne fulminans: acne grave com sintomas gerais como febre e calafrio

   

Os estágios da acne ocorrem pela interação de fatores genéticos, hormonais e ambientais. Não necessariamente serão sucessivos. E para cada estágio existem orientações e tratamentos específicos. 

 Glandula sebacea Inflamada

Imagem traduzida de http://www.mayoclinic.com/

   

Acne e alimentação, verdades e crenças

   

É frequente a dúvida se existe realmente associação entre acne e alimentação. Atualmente, acredita-se que dietas ricas em laticínios (leite e derivados), excesso de carboidratos de liberação imediata (açúcares simples) e gorduras insaturadas podem estar associados ao surgimento e mesmo agravamento da acne. Entretanto, ainda não foi comprovada associação de acne e consumo de chocolate ou sal.

    

Quanto ao chocolate, o quê se sabe é que o chocolate é rico em compostos biologicamente ativos (cafeína, teobromina, serotonina, feniletilamina, triglicérides e ácidos graxos canabioides-like), açúcar simples e aminoácidos (com arginina, leucina, fenilalanina, valina, lisina e isoleucina) os quais aumentam os níveis de insulina no sangue, que por sua vez estimula a secreção de sebo, um dos fatores responsáveis pela acne. Além desses compostos, o chocolate é rico em leite, alimento que contém diversos elementos indutores da acne, como hormônios, iodo e proteínas capazes de estimular o aumento da produção de sebo, assim como alterações no processo de formação da pele com obstrução dos folículos pilossebáceos. Assim, a dica é: se você notar aumento da acne após ingestão de chocolate, tente evitá-los da sua dieta!

    

Para melhor controle da acne, sugere-se uma dieta à base de carboidratos de baixo índice glicêmico, evitando a ingestão de açúcar e preferindo o consumo de fibras. Recomenda-se a ingestão de alimentos ricos em lipídios polinsaturados, especialmente ricos em ômega 3, além de zinco e vitamina A.

   

Além da dieta, é importante a avaliação de alterações hormonais e situações de estresse que acabam por favorecer o surgimento das espinhas, especialmente na vida adulta.

   

Existem hoje diversos tratamentos eficazes para a acne, em seus diversos graus. Estão disponíveis medicamentos tópicos, orais e até mesmo tratamentos a laser, radiofreqüência e fototerapia, dentre outras opções.

   

O melhor tratamento deve ser individualizado e indicado pelo dermatologista, após cuidadosa avaliação de cada caso.

  

 


 

 
Siga-nos no Facebook!